Livro: Iwoz – A verdadeira história da Apple segundo seu cofundador

Bem, quero ser bem sincero em relação a esse livro e seu conteúdo. O livro é

sobre a história da Apple contada pelo seu segundo fundador e talvez menos
conhecido cofundador da Apple e, para muitos, o verdadeiro gênio por trás dessa
fabulosa história. Apesar de não ser tão famoso quanto seu sócio, é seguro
afirmar que sem o conhecimento e dedicação de Wozniak, não haveria uma Apple.

Claro que muitas pessoas podem não concordar comigo em relação ao que vou me posicionar agora, mas gosto de ser bem sincero e transparente em relação às leituras que faço. O Steve aclamado por todos desde os primórdios do nascimento da Apple é o Jobs. Acredito que poderia até ter existido uma Apple com Jobs mas nunca sem o Wozniak. Ele era o cérebro, o intelecto, o gênio por trás do que seria Apple. Claro que os dois Steves acabaram se completando como em um casamento, onde os pontos positivos de um, completa os negativos do outro. Li vários artigos e livro sobre Jobs, mas, agora com a leitura desse, posso dizer que sou propenso a gostar muito mais do Worniak do que de Jobs. Claro que Jobs foi um gênio no Marketing das ideias que fizeram da Apple o que ela é hoje. Talvez, se só Wozniak tivesse criado o Apple sem o intelecto do Jobs, hoje ela não seria o que é hoje, uma das maiores empresas do planeta. Agora, com certeza, sem o Wozniak nem existiria definitivamente a Apple.

Outra coisa que marcou meu apresso pelo Wozniak é seu desprendimento em relação aos ganhos a qualquer custo, o interesse por adquirir riqueza, reconhecimento e fama, não era e nunca foi esse o principal alvo ou objetivo de Wozniak. Ele queria simplesmente desenvolver coisas e produtos que ajudassem as pessoas a conhecerem e a utilizarem a tecnologia de uma forma ampla e sem restrições, diferentemente de Jobs. Jobs sempre foi mais comercial, mais voltado ao marketing, e, claro, ele que elevou a Apple ao patamar da empresa mais valiosa dos tempos. isso é inegável. Mas quando falamos de ética, valores, princípios, o nome se chama Wozniak.

Escrito pelo próprio Wozniak em 2006 o livro intitulado “iWoz – A verdadeira história da Apple segundo seu cofundador“, o livro é antes de tudo o relato de um engenheiro apaixonado por sua profissão. A saga de um precoce inventor, que desde muito jovem se dedicou à eletrônica e encontrou no desenvolvimento de projetos de computadores sua grande vocação e objetivo de vida. Vocação que culminou na concepção do Apple 1, o primeiro computador pessoal que podia ser facilmente operado por pessoas comuns, em suas casas.

O interesse de Wozniak pela eletrônica veio bem cedo. Incentivado pelo seu pai, aos 11 anos já montava kits de rádio amador. Na escola era um aluno aplicado em matérias como Matemática e Física. Com 13 anos, projetou e montou sozinho uma máquina de somar e subtrair, o que lhe rendeu o prêmio de destaque na feira de ciências da escola.

Jobs e Wozniak se conheceram por intermédio de um amigo em comum. Jobs era mais novo por isso estava quatro anos atrás de Wozniak no colégio. Mas o interesse mútuo na eletrônica juntou os dois garotos e uma amizade floresceu.

Já na faculdade, ele se tornou um dos primeiros hackers de telefone, ao construir uma pequena caixa azul que permitia fazer chamadas de longa distância, sem pagar por isso. Na verdade esse foi o primeiro produtoque os 2 jovens comercializaram juntos. Mas essa empreitada não durou muito.

Anúncios

Wozniak era um engenheiro. E queria ser engenheiro por toda a vida, tanto que a conquista de um emprego na HP fora, até então, a realização da sua vida.  Alocado na divisão das famosas calculadoras, ele passava o dia fazendo o que mais gostava: projetar novos circuitos e funcionalidades para as máquinas de calcular. E à noite, se dedicava ao próprios protótipos eletrônicos.

Foi nesse período que ele começou a frequentar o Homebrew Computer Club. Um clube dedicado exclusivamente ao desenvolvimento de tecnologias de informática para as pessoas comuns. A revolução da informática começava ali, em reuniões semanais de entusiastas em uma garagem qualquer da Califórnia. Wozniak não tinha mais dúvidas, colocaria em prática o plano de construir seu próprio computador pessoal. Alguns meses depois, nascia o Apple 1.

Um dos grandes talentos de Wozniak era o de desenvolver seus projetos com o menor número possível de chips e conexões e, mesmo assim, agregar funcionalidades inéditas a eles. Os Apple 1 e 2 foram os primeiros computadores a darem uma resposta visual ao usuário por serem conectáveis a qualquer aparelho de TV (que fazia o papel de monitor) e facilitarem a entrada de dados por meio de um teclado rudimentar.

Vale salientar que Wozniak não desenvolveu o que seria o Apple 1 por dinheiro, tanto que ele reportava todos os avanços do projeto nas reuniões do Homebrew Club. Era um projeto aberto. Seu objetivo era construir uma máquina em que ele pudesse rodar seus próprios programas e criar jogos. Era um hobby, algo em que ele trabalhava após o expediente na HP.

Foi Jobs quem percebeu que esse projeto era bom o bastante para ser produzido e vendido a entusiastas. Surgia então a Apple Computers. Wozniak acabou deixando a HP e Jobs conseguiu a primeira encomenda de 100 unidades. Iniciava-se aí a história de uma das mais incríveis companhias do Vale do Silício.

O ponto forte do livro é a forma como Wozniak apresenta conceitos de eletrônica e do universo da computação de forma leve e direta. Muitas vezes ele repete esses conceitos para facilitar o entendimento. A adaptação da obra poderia ter sido melhor executada. Muitos trechos foram traduzidos de forma literal, o que faz com que alguns termos e frases soem estranho. Mas nada que comprometa a leitura.

Além de reclamar seus méritos e confessar falhas, ele nos envolve com a fantástica história do alvorecer da indústria que tomou de assalto o mundo, os lares e a vida das pessoas. Mudando para sempre os rumos do nosso relacionamento com a tecnologia.  E, saber que tudo isso surgiu do intelecto e do trabalho duro de um garoto que na infância gostava de desmontar máquinas para ver como elas funcionavam, dá um sabor todo especial a qualquer geek ou nerd.

Por isso, iWoz é leitura obrigatória para engenheiros eletrônicos, profissionais da área de computação, empreendedores e todo mundo que possua um sonho, um projeto, um objetivo maior. As lições de perseverança, dedicação, ética e humanidade que Wozniak nos ensina são inestimáveis:

Espero que você tenha tanta sorte quanto eu. O mundo precisa de inventores – grandes inventores. Você pode ser um. Se você ama o que faz e tiver disposto a fazer o que for necessário, está dentro de seu alcance. E valerá a pena cada minuto que gastar sozinho à noite, pensando e trabalhando no que você deseja projetar e fabricar. Valerá a pena, eu prometo.

Desejo a todos uma boa leitura.